Cuidado com o que você lê.
Você pode acabar num círculo vicioso que reforça suas tendências.

Cuidado com o que você lê.

Enquanto ocorria a recente revolução no Egito, na Praça Tahrir, pegaram um liberal, um conservador e um "moderado" e lhes pediram uma pesquisa no Google, usando as contas de cada um na Internet: "- Egito, digitem." Para o conservador, apareceu "Irmandade Muçulmana". Para o liberal, "Praça Tahrir". Para o moderado, apareceu: "Locais de férias no Nilo"...

Quando você pesquisa ou se comunica através de redes sociais ou suas fontes não vão muito além do Google ou do que os algoritmos enviam para você através do seu smartphone, as informações que você colhe pode acabar num limitado círculo vicioso que reforça suas tendências.

O Facebook, Twitter, Google etc. foram lançados como uma excelente ideia que se virou contra nós nessa busca de informações. Ao se limitar a pesquisas no Facebook ou Google você pode consumir ou impulsionar meias verdades, como nas "fake news", ou sendo vítima de outros interesses. Por exemplo:

1 - A tendência das cores em 2018, para a fabricante PANTONE, aponta para o "Ultra Violet" que, segundo eles, comunica originalidade, engenhosidade e pensamento visionário que nos aponta para o futuro. Por outro lado, de acordo com a marca de cosméticos MEMI, as cores caramelo e bege aumentaram as vendas em 65% e podem virar a tendência em 2018, influenciadas pelas fotos amplamente difundidas de Markle e Prince Harry no gramado do Palácio de Kensingtone.

2 - Ao ler em 2018 uma notícia sobre o PT publicada em algum site ou revista financiada pelo partido do Lula, se você não é um petista, pode ficar com a impressão de que está vivendo em outro planeta. Em parte, é por isso que nossa política está tão polarizada.

3 - Um experimento interessante realizado nos Estados Unidos, sem interesse científico, revelado pelo próprio Barack Obama, serviu para ilustrar o grau de exposição aos interesses especiais de quem pesquisa na Internet: enquanto ocorria a recente revolução no Egito, na Praça Tahrir, pegaram um liberal, um conservador e um "moderado" e lhes pediram uma pesquisa no Google, usando as contas de cada um na Internet: "-Egito, digitem." Para o conservador, apareceu "Irmandade Muçulmana". Para o liberal, "Praça Tahrir". Para o moderado, apareceu: "Locais de férias no Nilo". Ou seja, o resultado do Google refletia as tendências de cada um, fruto de pesquisas anteriores, e isso se reforça mais com o tempo.

Enfim, são fenômenos que podem ocorrer com as pesquisas no Google ou nas páginas do Facebook de onde as pessoas tiram suas informações. Uma pesquisa confiável sobre o seu público, mercado, concorrência etc. é fundamental para o sucesso em Marketing. Quando você menos espera, você está em uma bolha, sem conhecer a verdade dos fatos.


Leia outros artigos de Carlos Martins